Como Exercitar sua Mente




A atividade mental é tão importante quanto à física. Exercitar sua mente não o transformará em um Einsten, mas ajudará a deixa-lo mais esperto.

Acredite até nossos neuronios precisam ser exercitados, tais como os musculos eles correm o risco de "atrofiar". Algumas coisas como sair com os amigos, fazer palavras cruzadas, tocar algum tipo instrumento ou ate mesmo fazer buscas por informação na internet podem ajudar a sua mente a funcionar melhor além é claro de ler muito e conversar que são os que mais ajudam a exercitar a mente.

Mas não é so isso, segundo uma pesquisa publicada em 2008 por universidades americanas demostrou algo que parecia pouco provável: música e teatro aumentam a capacidade de concentração e geram ganhos tão significativos para a memória que você tem como extrapolar a melhora para outras áreas. Eles observaram que quem treina para tocar um instrumento parece ficar mais habilidoso em geometria e a compreender melhor um texto. Quem faz teatro, por fim, fica com a memória mais apurada, pelo hábito de decorar textos e interpretá-los no palco, e aumenta o nível de atenção – algo fundamental para aprender qualquer coisa.

Cientistas também descobriram que idosos e adultos de meia idade que navegam pela internet e buscam informação na rede ativam importantes centros de seu cérebro.Segundo Small, o autor principal do trabalho, "as buscas na internet são uma complexa atividade cerebral", que pode ser muito benéfica. Todos os que participaram do estudo mostraram uma atividade cerebral significativa durante a leitura, mostrando o uso de regiões que controlam a linguagem, a leitura, a memória e as habilidades visuais, que estão localizadas nas áreas temporal, parietal, occipital e outras regiões do cérebro. Durante as buscas pela internet, os voluntários com experiência anterior registraram um aumento duas vezes maior na ativação cerebral em comparação a aqueles com pouca ou nenhuma experiência de navegação pela rede. 

E não para por aí. Uma universidade de medicina de Harvard fez uma experiencia ainda mais surpreendente em 2007. Neurocientistas dividiram dois grupos de voluntarios, onde os primeiros receberam exercicios fáceis de pianos, onde treinaram 2 horas por dia durante umaa semana. Depois os neurocientistas viram que a area de massa cinzenta responsável pelos movimentos dos dedos havia crescido. Outros estudos já tinham mostrado que o cerebro é capaz de fazer isso quando treinado um pouco. O outro grupo foi orientado a imaginarem que estavam tocando piano. O resultado mostrou que tanto o cerebro do primeiro como do segundo grupo reagiu da mesma forma. Isso mostrou que o pensamento puro e simples é capaz de mudar a estrutura da mente. 

Além de exercitar a mente, uma dieta variada, exercícios físicos e uma boa noite de sono melhoram nossa capacidade cognitiva”, afirma o neurocirurgião Fernando Gómez-Pinilla, da Universidade da Califórnia. Ele diz que os ácidos graxos ômega 3, encontrados em nozes, óleos vegetais, salmão e outros peixes, são ótimos para o aprendizado e a memória. Nossas sinapses também gostam de ácido fólico (a vitamina B9, presente em vísceras de animais, verduras, legumes e grãos) e detestam gorduras trans e saturadas. Além disso, técnicas de ioga ajudam no raciocínio porque corrigem a respiração e mantêm o suprimento de oxigênio ao cérebro. 

Pelo mesmo motivo, qualquer caminhada já favorece a cognição.
Videogames exigem tanta atividade cerebral que, sim, podem deixar qualquer um mais inteligente. Essa tese começou a ganhar terreno em 2005, com o livro Everything Bad Is Good for You (“Tudo o Que É Bom É Ruim para Você”), do jornalista científico Steven Johnson. E hoje, com cada vez mais pesquisas mostrando que o simples fato de manter a cabeça ativa aumenta a cognição, ela vem ganhando terreno.

Alguns remédios podem bombar o raciocínio, em geral alterando o equilíbrio de neurotransmissores envolvidos nesse processo. Mas cuidado. O aderal, por exemplo, pode melhorar a concentração, mas também causar ataque cardíaco; o aniracetam ajuda na memória, mas gera ansiedade e insônia; as metanfetaminas contribuem para a concentração, e também para derrames cerebrais. Já a vasopressina, um hormônio para o tratamento do diabetes, ajuda na memória e no aprendizado. Por outro lado, seu consumo desordenado gera náuseas, anginas e coma. E tem a velha nicotina. Estudos mostram que ela parece aumentar a interação entre os neurônios, o que favorece a atenção. Mas o preço a pagar por ela você sabe qual é. Segundo Gabriel Horn, da Universidade de Cambridge, mais de 500 substâncias como essas estão sendo pesquisadas – em geral para o tratamento de Alzheimer, Parkinson e outras doenças degenerativas. A maioria provavelmente terá seu uso restringido por agências reguladoras, mas algumas devem chegar às farmácias em breve.

Dividir uma conta de bar de cabeça, saber com que países a Lituânia, o Chade ou o Butão fazem fronteira e responder testes de inteligência mais rápido que os outros é privilégio de poucos. Mas, com estes truques aqui, qualquer ignóbil pode posar de Prêmio Nobel! Pode testar: eles ajudam sua cabeça a fazer coisas que nem ela acredita.
Quanto é 725 menos 391?
O truque - Quebre os números. É o que muitos já fazem intuitivamente. Aqui, o melhor a fazer é tirar 400 de 725 (fácil) e adicionar 9 (a diferença entre 391 e 400). Pronto. O resultado é esse mesmo que você pensou. 
Se a informação a memorizar é longa, divida-a por partes e faça resumos. Organize-a, catalogando cada parte por categorias. Tente associar informações a imagens mentais vividas.
É mais fácil decorar se atribuir um significado ou sentido às informações. Um método comum é associar uma lista de coisas a locais pelos quais se passa habitualmente.
Alem de alguns sites que contem jogos e desafios para exercitar ainda mais a mente:

Um comentário:

  1. amei as resposta adoro ler vcs me esclareceram obrigada

    ResponderExcluir

Deixe seu comentario, opinião, ou sugestão:

Related Posts with Thumbnails